BeteBrito.com - Artista Plástica



Argila - Modelagem

por Bete Brito

Categorias: Artigos

9/09/2007 às 16:49

A argila se origina da desagregação de rochas que comumente contém feldspato, por ataque químico ou físico que produz a fragmentação em partículas muito pequenas.

Normalmente as jazidas são formadas pelo processo de deposito fluvial, ou seja, as partículas menores são levadas por corrente de água e depositadas no lugar onde a força hidro-dinâmica já não é suficiente para mantê-las em suspensão.

As argilas assim geradas são chamadas de secundárias, já que a argila primária permanece no local onde se originou, sendo este o caso da formação das jazidas de caulino.

Num processo inverso, de litificação, a argila pode se transformar em rocha sedimentar se um depósito de argila for desidratado e submetido a compactação (normalmente pela pressão de camadas superiores), dá origem a rochas clássicas mais finas (lutitos ou pelitos) cujos exemplos podemos citar: os folhelhos, que se apresentam bem estratificados, e os argiliticos, que possuem pouca ou nenhuma estratificação.

As argilas possuem inúmeros usos inclusive medicinais. Por sua plasticidade enquanto úmida e extrema dureza depois de cozida a mais de 800 ºC. a argila é largamente empregada na cerâmica para produzir vários artefatos que vão desde os tijolos até semi-condutores utilizados em computadores.

Tipos de argila: caulinos, bentonitas, argilas refratárias, terra fuler são tipos específicos de argilas que têm definições particulares decorrentes de aplicações tecnológicas, , composição química/mineralógica ou origem geológica.

Por ser um material plástico é de fácil modelagem, que se solidifica sob a ação do calor. Sua composição que varia de acordo com os locais de onde seja extraída apresenta certos elementos minerais que determinam a cor, a porosidade e dureza da peça, bem como a temperatura a que pode ser submetida sem que sofra deformações.

A argila assim que for retida da embalagem plástica começa o processo de endurecimento. As mãos quentes e o ar aquecido retiram a umidade. Deve-se guardá-la sempre em sacos plásticos sem furos.

Recuperação da argila

O barro quando seco, mas ainda maleável pode ser recuperado: faz-se no barro buracos com os dedos e encha-os de água. Não jogue água demais, pois a argila se tornará pegajosa e difícil de ser manuseada.

Todas as sobras de argila da mesa deverão ser guardadas em sacos plásticos levemente umedecido. Toda vez que for usá-la terá que sová-la novamente. Para manter a argila sempre maleável é necessário guarda-la em sacos plásticos e sem furos.

Quando a peça de argila é queimada pela primeira vez sem ter sido esmaltada, ela recebe o nome de “biscoito”.

Cerâmica

Cerâmica vem do grego Keramiké, derivado de Keramos (argila). A cerâmica como síntese simboliza a própria matéria, pois segue o ciclo dos primitivos gregos - Terra, Água, Ar e Fogo. Os quatros elementos que formam a natureza. A evolução da cerâmica tem sido tão intimamente relatada no desenvolvimento da civilização que proporciona uma agradável comunicação do passado com a variação do presente.

Instrumentos de trabalho

Estecas - geralmente de madeira com pontas de arame em formato variado e servem para alisar, cortar, unir, polir, texturizar, tirar o excesso de barro, fazer escavações principalmente em esculturas ou peças maciças.

Esponjas - servem para alisar a peça ou umedecer.

Rolos de madeira - são utilizados para abrir a massa na espessura desejada.

Torno - para facilitar a modelagem e executar peças circulares.

EXECUÇÃO DE PEÇAS

Ao iniciar o trabalho deve-se sovar bem a argila para eliminar os gases contidos. Deve-se cortá-la com arame ou fio de nylon em vários pedaços e juntá-los novamente, sovando sempre.

Toda vez que for iniciar um trabalho deve-se amassar novamente a pasta.

SECAGEM DA PEÇA

Deve-se cobrir a peça com sacos plásticos para que a secagem seja lenta pelo menos nos primeiros dias, para evitar gretas e deformações. Com o passar dos dias vai-se abrindo o plástico pouco a pouco, para permitir a circulação do ar. Deve-se manter a modelagem em cima de plásticos finos, para que durante a secagem elas não rachem. É preferível que a peça seque um dia a mais que um dia a menos.

A QUEIMA

As peças vão ao forno pelo menos duas vezes. Na primeira a peça crua e seca queima mais ou menos a 700° C . A segunda é feita com a peça esmaltada á temperatura de 960° C ou mais.

PS. É possível trabalhar (dar acabamento) com as peças sem terem ido ao forno.

ACABAMENTO

Este acabamento é para peças que não forem ao forno

-Dar uma demão de água com cola esperas secar;

- Pintar com qualquer tinta á base de agua (guache, tinta para tecido, tinta plástica ou ainda tinta acrílica);

- Envernizar;

PS. Se quiser manter a coloração natural da argila, basta apenas, depois da água com cola passar cera em pasta incolor.

*As peças de argila ou escultura em argila pode-se tomar banho de bronze.

*Todas as perguntas são respondidas, é só deixar o email.

LUZ e PAZ!

308 Comentários

  • Marcia disse:

    Olá :)
    Obrigada por compartilhar seu conhecimento com a gente:)
    Gostaria de saber como fazer boas peças sem
    que rache depois. O que fará diferença:
    a queima ou algum composto misturado à massa?
    É possível usar fogão de casa ou microondas?
    Grata desde já :)

  • jussara disse:

    Amei tuas informações,gostaria de saber se tu não sabes por acaso fazer as rosas,e se puder me explicar como se faz,agradeceria muito.Aguardo resposta.

1 ... 17 18 19

© Copyright 2017 BeteBrito.com - Artista Plástica. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por kristopher.biz